Um Brinde à Poesia

Um Brinde à Poesia

sexta-feira, 17 de junho de 2011

VAMOS FAZER UM BRINDE AO DIA DO AMIGO!

Loucos e Santos
Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

PROGRAMAÇÃO:

O Um Brinde à Poesia foi criado em sonho. Isso mesmo, no dia 10 de maio de 1999, (dois dias para o meu aniversário - presentão) e lançado no dia 11 de junho, por causa do dia dos namorados (12) e do aniversário de Fernando Pessoa (13), então patrono junto com Vinícius de Moraes (o poeta mais namorador!!). O Anjo como símbolo foi fotografado em NY, em janeiro de 1988, no Central Park. Estas idéias apareceram no meu sonho e tive que produzir em 25 dias, além de produzir mil livretos de poesia para distribuir no dia do evento, com apoios do comércio local (destaco quatro que até hoje me acompanham: Porção Mágica, Steak House, Lidador e EstaSom) e a todos que mensalmente participam das apresentações. OBRIGADA!!!!

O sonho só foi possível depois de compartilhado. Os artistas e o público são o combustível para que eu continue a brindar. Sem dúvida temos muitos motivos para comemorar.
Aos amigos Um Brinde especial neste mês!

Poetas: Maria Helena Latini, Lena ferreira e Marcelo Mourão
Músico: Fábio Pereira
Participação Musical: Rollo (voz) e Jonathan Ferr (teclado e piano) em Pocket-Show Cinco Buarques de Holanda
Contador de Histórias Mirim: Arthur Ortiz
Homenagem Fernando Pessoa: Antônio Gomes Eduardo

VAMOS CELEBRAR A AMIZADE!!!

Ah! E você traga um poema e apresente na canja.
Sorteio de brindes.

ENTRADA R$ 5,00

PAZ! GRAÇAS A DEUS! BRILHA LUZ!
Lucília Dowslley

Cinco Buarques de Holanda

Um passeio lúdico e visceral com Chico Buarque. Essa é a proposta do pocket-show “Cinco Buarques de Holanda”, apresentado por Rollo (voz)
e Jonathan Ferr (piano e teclados).
A ideia de um show que reunisse uma releitura swingada da genialidade de Chico, nas suas mais representativas canções, é um desejo alimentado há muito tempo pelo cantor Rollo. O repertório é composto de 10 músicas de autoria de Chico, mas cada apresentação contém apenas cinco composições, escolhidas de forma aleatória. A inovação na estrutura da produção permite que cada apresentação seja única e exclusiva.
A brincadeira sonora, mais que bem temperada com pimenta e pegada da negritude, fica por conta do repertório pra lá de seleto – com várias letras e versões censuradas pelo Regime Militar - escolhido pelo próprio Rollo (que vem de uma bem sucedida temporada à frente do show Demasiado Humano, ao lado do Rolo Trio) e por Jonathan Ferr (pianista e arranjador).
Da malandragem do “Rei de Ramos”, passando por “Futuros Amantes” e “Las Muchachas de Copacabana”, o repertório ainda traz “Verdadeira Embolada”, parceria de Chico com Edu Lobo e “A Cidade Ideal”, feita em parceria com Enriquez e Bardoti, para o musical “Saltimbancos”, tudo isso em um roteiro assinado pelo escritor Flávio Braga (autor do livro e peça Sade em Sodoma, com direção de Ivan Sugahara). Todas as composições vão ao encontro da interpretação "de corpo e alma" de Rollo, em harmonia com o sutil e potente toque do piano de Jonathan, gerando uma combinação explosiva, que mexe com todos os sentidos. "Cinco Buarques de Holanda” propõe uma sonoridade com levada e gosto de quero mais. (Rosiane Rodrigues)











Dia do amigo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Dia do Amigo, celebrado a 20 de julho, foi primeiramente adotado em Buenos Aires, na Argentina, com o Decreto nº 235/79[1], sendo que foi gradualmente adotado em outras partes do mundo.
A data foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Com a chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, ele enviou cerca de quatro mil cartas para diversos países e idiomas com o intuito de instituir o Dia do Amigo. Febbraro considerava a chegada do homem a lua "um feito que demonstra que se o homem se unir com seus semelhantes, não há objetivos impossíveis".[2]
Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo, é quando as pessoas trocam presentes, se abraçam e declaram sua amizade umas as outras, na teoria. [3][4][5]
No Brasil, apesar de não ser regulamentada por lei, o dia do amigo é comemorado popularmente em 18 de abril.[6] No entanto, o país também vem adotando a data internacional, 20 de julho, sendo inclusive instituída oficialmente em alguns estados e municípios.


BONS AMIGOS

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!
Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!
Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!
Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!
Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!
Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

Machado de Assis

Um comentário:

ALBERTO ARAUJO disse...

Já tive a oportunidade de ver de perto os SARAUS de Lucília, confesso que esta maravilhosa poetisa tem muito talento, e recebe muito bem os convidados. Parabéns Lucília, você é uma grande poeta/atriz - abraços do poeta Alberto Araújo - Niterói - RJ